quarta-feira, 18 de abril de 2018

Belo Horizonte tornou-se a capital das artes marciais nesse mês, graças a iniciativa da Fundação Clóvis Salgado / Palácio das Artes, que abriu às portas para o cinema marcial chinês, numa imperdível mostra de Kung Fu.
A Moy Yat Ving Tsun separou algumas das mais importantes produções, dentre as dezenas da mostra "Grandes Nomes do Kung Fu":

GRANDES NOMES DO KUNG FU
http://www.fcs.mg.gov.br/index.php?option=com_gmg&controller=event&id=2737-grandes-nomes-do-kung-fu

1. Bruce Lee / A Fúria do Dragão, de Wei Lo (Fist of Fury/Jing wu men, Hong Kong, 1972)
Clássico, considerado o melhor de Bruce Lee. O roteiro aborda reais figuras do círculo marcial chinês, nos idos do século XX, na cidade de Xangai, na escola Jin Wu e de seu fundador, o famoso mestre Huo Yangjia. A história é tão famosa que, além de Bruce Lee, os atores Jet Li, Jackie Chan, dentre muitos outros, fizeram filmes relatando a mesma, sendo a última interpretada por Donnie Yen, em Legend of the Fist. Vale ver todas as versões.

2. Cheng Pei Pei / O Grande Mestre Beberrão, de King Hu (Da Zui Xia, Hong Kong, 1966)
Filme de 1966, sendo a maior bilheteria chinesa dos anos 60, antes da estréia de Bruce Lee no cinema asiático. Destaque para a atriz Cheng Pei Pei, que foi homenageada mais tarde, com o papel da vilã Jade Fox, no filme O Tigre e o Dragão.
https://www.youtube.com/watch?v=z1A6PnPZ6Gk

3. Jet Li / O Templo Shaolin, de Hsin Yen (Shao Lin Si, China-Hong Kong, 1966)
Primeira produção de Hong Kong rodada na China Continental, após a sua abertura política, grande parte gravado no milenar monastério Shaolin, em Henan. É o filme de estréia de Jet Li, na época um menor residente do templo, que também é um orfanato, esse sem pretensões de se tornar ator.
O filme apresenta o lendário monastério ao público em geral, fazendo dele hoje um dos cinco pontos turísticos mais visitados na China. Jet Li é o ator chinês mais bem pago do mundo, ao lado de Jackie Chan.

4. Jet Li / Era uma vez na China, de Hark Tsui (Wong Fei Hung, Hong Kong, 1991) 
Primeiro de uma série que Jet Li interpreta o mais lendário mestre de Kung Fu da China, Wong Fei Hung, que viveu no Sul da China, entre os séculos XIX e XX. Mestre Wong possui um museu, ao lado do museu de Ip Man, localizado no "Templo dos Ancestrais" em Foshan. Entre os anos 30 até hoje, mais de 100 produções de cinema e TV são atribuídas ao mestre Wong Fei Hung.

5. Jet Li / Herói, de Yimou Zhang (Hero/Ying Xiong, China/Hong Kong, 2002) 
Sem dúvida, o melhor filme de Kung Fu de todos os tempos, não necessariamente pelas lutas coreografadas (ainda que belíssimas!). O pensamento clássico da estratégia chinesa é o destaque da trama. Uma obra-prima!

6. Michelle Yeoh / Wing Chun, de Woo-Ping Yuen (Wing Chun, Hong Kong, 1994)
O filme em si não é nada demais. Porém, ele reativou o mercado de artes marciais mundial, colocando o Ving Tsun novamente em voga, após a "febre" dos anos 70 e idos de 80. A produção de cinema precede a famosa série de TV, dos mesmos produtores.

7. Jackie Chan / O Mestre Invencível, de Woo-Ping Yuen (Zui quan, Hong Kong, 1978) 
Um dos inúmeros filmes sobre o lendário mestre Wong Fei Hung, de Foshan, dessa vez, interpretado pelo então jovem ator Jackie Chan, que era na vida real um ator de ópera e não um praticante de Kung Fu. A peculiaridade é o estilo tradicional de Kung Fu abordado, do bêbado (Zui Quan, mesmo nome original do filme).

8. Jackie Chan / Police Story, de Chi-Hwa Chen (Ging chaat goo si , Hong Kong, 1985)
Destaque para uma cena de Jackie Chan treinando no boneco de madeira, que promoveu o aparelho do Ving Tsun no mercado de artes marciais dos anos 80. No entanto, o Muk Yan Jong já havia aparecido em outro filme do mesmo ator, contracenando com o chinês Yuen Biao:

9. Chow Yun Fat / O Tigre e o Dragão, de Ang Lee (Wo hu cang long, Taiwan, 2000)
Clássico premiado, ganhador de um Oscar, baseado na tradicional literatura marcial chinesa, Wu Xia, da obra de Du Lu Wang, de cinco livros, conhecida como "Crane Iron Pentalogy", sendo o filme o quarto livro da pentalogia. Obra-prima!

10. Wang Yu / O Espadachim de um Braço, de Chen Chang (Du bei dao, Hong Kong, 1967)
Wang Yu se consagrou como ator mais badalado da China dos anos 60 nesse filme, que lhe rendeu mais de cem produções, ao longo de sua vida. O Espadachim de um Braço foi responsável pela explosão de vendas de espadas e armas chinesas em Hong Kong, até então proibidas de comercialização pelo governo britânico da ilha.
11. A 36ª Câmara de Shaolin, de Chia-Liang Liu (Shao Lin san shi liu fang, 1978)
Ao lado de Warriors Two (esse infelizmente não apresentado nessa mostra mineira), a produção "Câmara 36 de Shaolin" são os clássicos do ano de 1978, onde enfim o cinema de Hong Kong foi autorizado a passar na China Continental, fechada desde 1949.
O filme tem presença de reais famosos mestres de Kung Fu de Hong Kong, além de consagrados atores, e aborda o tema do mais famoso setor do monastério Shaolin, a "câmara 36", conhecida como "Weng Chun - eterna primavera", local onde supostamente viveu a monja Ng Mui, sendo a origem remota do Ving Tsun.

DESTAQUE MAIOR:
O Grande Mestre, de Wong Kar-Wai (The Grandmaster/Yi dai zong shi, Hong Kong, 2013)
Wong Kar Wai é um diretor chinês que há muito se consagrou na Europa. Famosos por filmes dramáticos e romances de afinada percepção cinematográfica, o cineasta ficou por mais de 10 anos trabalhando nesse filme, seu primeiro no gênero marcial, inspirado na vida do Patriarca Ip Man do Ving Tsun, dentro do círculo marcial chinês dos anos 30.
A versão final tem cinco horas de duração (disponível apenas na França). As duas horas editadas na versão comercial dará uma ideia dessa obra-prima contemporânea da Sétima Arte. Imperdível obra-prima!

Agende seu horário na MYVT em nosso website:

quarta-feira, 4 de abril de 2018

SHORT NEWS - MAR/2018

Os mestres da MYVTMI presentes na celebração do aniversário (sentados). 
O primeiro evento oficial do Clã Moy Yat Sang no ano chinês do cão foi o 55o. Aniversário do Grão-Mestre Leo Imamura, realizado em Belo Horizonte, reunindo membros de todos os núcleos do Brasil e da Argentina. Segue abaixo os intensos dias do evento, onde o líder do clã, sua esposa, Sra. Vanise Imamura, e filhos, Lukas e Melissa, formaram a comitiva oficial de mais essa importante passagem da Moy Yat Ving Tsun Martial Intelligence:

1o. Dia - sexta-feira - Seminário Aberto de Ving Tsun
Seminário "55 minutos com o Grão-Mestre Leo Imamura".
Realizado no salão de eventos do Hotel Royal Golden, no Bairro Savassi, a boas-vindas ao Grão-Mestre Leo Imamura e família contou com mais de 80 pessoas, dentre membros e amigos. Destaque para as presenças: Mestre Nataniel Rosa, de Brasília, Mestre Ricardo Queiroz, Mestra Ursula Lima e o Mestre Felipe Soares, do Rio de Janeiro, todos eles diretores de núcleo da MYVTMI.
Lideranças da ADESG-MG (Escola Superior de Guerra) prestigiaram a palestra.

Salão do hotel Royal teve lotação na palestra.
2o. Dia - sábado - Visita ao Museu Inhotim
Momento de bate-papo em Inhotim.
Durante o dia, no sábado, a família Kung Fu foi visitar o famoso museu do Inhotim, uma referência internacional em paisagismo e arte contemporânea. Os diversos ambientes, naturais e artísticos, fizeram do passeio um rico momento experiencial e de convivência humana.

- A Celebração do Aniversário -
O aniversariante e Família Imamura, com os anfitriões, Anderson e Carla.
A noite de sábado foi o momento mais esperado do evento. De maneira intimista, a casa do chef argentino, Gustavo Roman - Pizza Sur - foi exclusivamente fechada para receber o aniversariante e os convidados da festa de 55 anos do líder do Clã Moy Yat Sang.
Membros do Núcleo Belo Horizonte que compareceram à celebração.
O Mestre Anderson Maia foi o mestre de cerimônia, deixando os presentes muito à vontade para circular durante a celebração, integrando o ambiente em torno do aniversariante. Ao final, o bolo de aniversário concentrou a atenção para as palavras de agradecimento e aprendizado do Grão-Mestre Leo Imamura.
A homenagem pelos 55 anos do Grão-mestre.
3o. Dia - domingo - Reunião MYVTMI e Cerimônia de Baai Si
Franklin Luzes liderando a reunião do Conselho de Mestres.
Após a festa de celebração do aniversário, os diretores de núcleo e alguns mestres convidados se reuniram com o membro de São Paulo, Franklin Luzes, que tem emprestado à MYVTMI sua larga experiência empresarial, como diretor da Microsoft do Brasil.
Moy Sam Yan no momento ápice de reconhecimento como discípulo.
Para encerrar o domingo, o Clã Moy Yat Sang se envolveu para realizar a Cerimônia de Discipulado - Baai Si - sendo reconhecidos os membros de Minas Gerais Fabiano Birchal (Moy Sam Yan), discípulo de primeira geração do Grão-Mestre Leo Imamura; Thiago Rochael (Moy Dei A Go) e Erick Abreu (Moy Hei Lik), reconhecidos agora discípulos de 2a. geração do líder do Clã Moy Yat Sang. Um jantar chinês encerrou o evento com chave de ouro.


O Núcleo Belo Horizonte Savassi da MYVTMI agradece à toda Família Kung Fu por apoiar o evento, não somente com as dezenas de presenças, mas também com o esforço de muitos para que o 55o. Aniversário do Grão-Mestre Leo Imamura pudesse ser realizado à altura e importância da tradicional data.

Acesse nosso website: www.myvtmg.com.br

SHORT NEWS - FEV/2018

Dezenas de membros do Clã Moy estiveram presentes no Ano Novo Chinês da MYVT BH.
A chegada do Ano Chinês do Cão de Terra foi celebrada da melhor forma na Moy Yat Ving Tsun de Minas Gerais. O ponto auge do evento, realizado no Restaurante Macau da capital mineira, foi a Cerimônia Tradicional de Discipulado da Família Moy On Da San, que reconheceu quatro novos membros vitalícios da Linhagem Moy de Ving Tsun. Acompanhem as fotos da cerimônia, além do auspicioso banquete chinês de ano novo:

Si Fu Anderson e Si Mo Carla abrem a mesa cerimonial.

Victor Leal é reconhecido discípulo e recebe o nome "Moy Wik To". 
Tatiana Cintra é reconhecida discípula e recebe o nome "Moy Taap Tai".


Márcio Bessa é reconhecido discípulo e recebe o nome "Moy Ma Sue".

Erick Abreu é reconhecido discípulo e recebe o nome "Moy Hei Lik".

Testemunhas formais da cerimônia dos novos membros vitalícios.
Agende uma visita:
www.myvtmg.com.br

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Festival da Primavera se inicia na China e em todo o mundo

A China e centenas de países e comunidades asiáticas do mundo iniciaram o milenar "Festival da Primavera", que antecede a chegada do ano novo chinês, esse previsto para 16 de fevereiro, onde o signo "Cão de Terra" passará a vigorar em 2018:

China News 2018

A Moy Yat Ving Tsun de Minas Gerais celebrará o ano novo no chamado "dia dedicado ao Imperador de Jade", que dará em 24 de fevereiro. Toda a Comunidade Marcial/Oriental poderá adquirir o convite e confirmar sua presença em nossa página do Facebook:

quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

Três eventos para a chegada do Ano Chinês do Cão de Terra

Foto Oficial de 2017 - Si Fu Anderson Maia e membros integrantes do Núcleo BH.
O Núcleo Belo Horizonte Savassi da MYVTMI começa o ano de 2018 com três auspiciosas atividades, todas elas preparatórias para a chegada do Ano Chinês do Cão de Terra:

Dia 23/1 - Tributo ao Grão-Mestre Moy Yat (1938-2001).
Dia 5/2 - Tertúlia Marcial com o Mestre Leonardo Mordente - Tema: Ving Tsun, um nome.
Dia 20/2 - Palestra com a Dra. Clara Araújo - Tema: Medicina Tradicional Chinesa.

O novo ano (San Nin) na China inicia-se no próximo dia 16 de fevereiro. O Mestre Sênior Anderson Maia e seus discípulos anunciaram o dia 24 de fevereiro para o banquete de ano novo e a Cerimônia Tradicional da Família Moy On Da San

Venha nos conhecer, agendando uma visita:

2017 encerra-se com grande evento internacional

A Moy Yat Ving Tsun Martial Intelligence do Brasil fechou com Chave de Ouro o ano de 2017, com a celebração do 77o. aniversário da Líder do Clã Moy Yat, na Capital Federal:


Desejamos à todos um Feliz Ano Novo!

sábado, 4 de novembro de 2017

Grão-Mestre Henry Moy celebra 70 anos em New York City

Grão-Mestre Henry Moy faz parte da primeira geração de discípulos do Patriarca Moy Yat, ainda nos anos 60, em Hong Kong. Ambos migraram para os EUA nos anos 70, fazendo do Si Fu Henry um dos mais importantes herdeiros do Grande Clã Moy.
Na última semana, o círculo marcial de New York City se reuniu em grande número para celebrar os 70 anos de idade do Grão-mestre Henry Moy, em evento organizado pela Família Moy Yee (http://www.moyyee.com/).
A comitiva brasileira dessa viagem aos EUA foi composta de Grão-Mestre Leo Imamura e os mestres seniores Anderson Maia e Julio Camacho. Confira como foram os dias de mais esse momento internacional da Moy Yat Ving Tsun:

Primeiro dia - Chegada e recepção do Grão-Mestre Miguel Hernandéz
Desde 1997, há 20 anos, quando a primeira comitiva brasileira foi visitar a sede mundial em New York, a residência do Grão-Mestre Miguel Hernandéz se tornou a "primeira casa" da Família Moy Yat Sang nos EUA.
A família Kung Fu com a família Hernandéz.
Não foi diferente dessa vez, onde a Família Hernandéz gentilmente hospedou o Grão-Mestre Leo Imamura e os mestres seniores Anderson Maia e Julio Camacho. Além da alegria de um encontro familiar, há sempre a oportunidade de aprender com os relatos sobre o Kung Fu vivido pelo Grão-Mestre Miguel Hernandéz e sua impecável memória. 

Segundo dia - Seminário sobre o Bastão do Ving Tsun na escola do Brooklyn
A Família Moy Yee está estabelecida no Brooklyn de NYC, desde os anos 70, em sede própria, num espaço totalmente dedicado ao Kung Fu.
Grão-Mestre Henry Moy em sua escola no Brooklyn.
Como já previsto na programação, as celebrações de aniversário iriam começar com um seminário de Luk Dim Bun Gwan, o bastão do Ving Tsun, no Mo Gun. Grão-mestre Henry Moy há muito é reconhecido pelo círculo marcial como um especialista no bastão longo e não poderia faltar no evento uma palestra sobre esse raro tema, onde ele retribuiu seu prestígio mostrando toda a sua experiência.
A imagem pode conter: 27 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé e atividades ao ar livre
Grão-mestres e mestres sentados; e participantes do seminário sobre o bastão do Ving Tsun.
A tradição do Kung Fu recomenda não fazer registros (foto e vídeo) quando o assunto são as armas. Dessa forma, somente as dezenas de presentes puderam admirar o sábio conhecimento do mestre aniversariante.
O almoço em que foi anunciada a passagem da presidência da federação ao aniversariante.
Ao final, um almoço reuniu os presentes, onde aproveitou-se a ocasião para anunciar a sucessão do presidente da IMYVTF, passando de Grão-Mestre Sunny Tang para o Grão-Mestre Henry Moy a posição de líder da federação familiar. 

Terceiro dia - A CELEBRAÇÃO DO ANIVERSÁRIO
Centenas de pessoas no restaurante de Chinatown de Manhantan.
Cerca de 400 pessoas estiveram presentes no restaurante Joy Luck de Chinatown, em Manhathan. Líderes da velha guarda do círculo marcial chinês estiveram presentes para prestigiar o Grão-mestre Henry Moy, bem como as principais personalidades do Grande Clã Moy.
As principais lideranças do Clã Moy Yat estiveram presentes.
As centenas de pessoas presentes, por si só, já comprovam a importância do Grão-Mestre Moy Yee para as Artes Marciais e a Cultura Chinesa.
A imagem pode conter: 6 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé, terno e área interna
Madame Helen Moy e Grão-Mestre William Moy com o aniversariante e esposa.
A líder maior do Clã Moy, Madame Helen Moy, foi uma das homenageadas. O Conselho de Mestres da International MYVT Federation receberam homenagem da Escola Moy Yee, tendo sido o Grão-Mestre Leo Imamura o escolhido para se pronunciar em nome da Federação.
A Cerimônia de Discipulado - Baai Si - da Família Moy Yee.
A festa, além de uma grande banquete com treze especiarias chinesas, foi recheada de outras atividades: demonstrações de Kung Fu, Caligrafia, homenagens ao círculo marcial, cerimônia de discipulado (Baai Si) e ainda a outorga dos Jiu Paai, as placas símbolo da continuidade do legado, para novos e antigos discípulos do Grão-mestre Henry Moy.
Grão-mestre Leo Imamura e seus discípulos brasileiros na festa.
Ao fim, todos celebraram os 70 anos dessa importante figura do Kung Fu, no tradicional corte do bolo com as facas Baat Jaam Do. Vida longa ao Grão-Mestre Henry Moy e Família!!!
O tradicional corte do bolo com o Baat Jaam Do.
Quarto dia - Yam Cha tradicional para despedida do Grão-Mestre Henry Moy
Yam Cha onde o anfitrião reuniu os mais próximos, em agradecimento.
Grão-Mestre Henry Moy e a Família Moy Yee fizeram questão de convidar a comitiva brasileira para um Yam Cha (típico desjejum chinês) na manhã seguinte à celebração do aniversário.
Dim Sam: iguarias de um Yam Cha.
É um momento mais íntimo da Família Kung Fu, que serve para o aniversariante conversar e agradecer pela presença dos mais antigos e próximos dele.

Quinto dia - Estada na Philadelphia com o Grão-Mestre Pete Pajil
Grão-mestre Pete Pajil e sua esposa, Christina, em sua casa na Philadelphia.
Grão-mestre Pete Pajil é o líder da Moy Yat Ving Tsun na Philadelphia. Em toda viagem aos EUA, uma estada é sempre prevista para prestigiar a Família Moy Bah Hugh.
Os grão-mestres estudando o Ving Tsun atual.
Dessa vez, a comitiva brasileira imergiu na residência do Grão-Mestre Pete Pajil, de maneira que a relação familiar fosse mais intensa, para que estudos e conversas sobre a Moy Yat Ving Tsun Martial Intelligence fossem melhor aprofundadas.

Um dia e uma noite com muita intensidade, no conforto da casa, com tudo de melhor que o anfitrião e sua esposa, Sra. Christina Pajil, puderam oferecer aos brasileiros.  

Sexto dia - Encontro com Si Fu Eugene Chin em New York City
Eugene Chin e Terryann: anfitriões do último dia.
Antes de embarcar, no JFK Airport, a tradição da comitiva brasileira sempre foi almoçar com o ex-secretário geral da MYVT, Si Fu Eugene Chin, um dos melhores amigos de Grão-Mestre Leo Imamura. Si Suk Eugene, como é chamado pelos brasileiros, faz questão de reunir a comitiva e rodar por Manhathan, fazendo ainda o translado até o aeroporto. Sempre um sinal de zelo e atenção, fruto de uma longa amizade.

A comitiva brasileira desse turnê aos EUA agradece o grande apoio recebido pela Si Fu Terryann, que acompanhou em todos os dias da viagem, dando o máximo suporte para o seu sucesso.